O primeiro jornal impresso em tinta e em braille!
Jornal Conviva
Home > Jornal Conviva / Índice de Jornais > ndice de Artigos do Jornal Nº 82 > Felipe Diogo é o primeiro e único comentarista cego de futebol profissional do Brasil

Mercado de Trabalho


Felipe Diogo é o primeiro e único comentarista cego de futebol profissional do Brasil

No rádio, sua grande paixão, ele também apresenta um programa de variedades
sobre o universo das pessoas com deficiência

 

O fato de não enxergar não impediu Felipe Augusto Diogo, 32, de apresentar um programa na Rádio Paraty FM, de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, e se tornar comentarista de futebol. “Tudo começou em junho de 2013 quando recebi um convite de Antônio Eustáquio, diretor da rádio, para apresentar o programa Espaço da Inclusão. Dois meses depois, com a transmissão da copa paulista pela emissora, surgiu a oportunidade de comentar futebol. A Paraty cobriu os jogos do São Bernardo Futebol Clube e aí, foi criado o quadro “Ponto de Vista” com Felipe Diogo. Em 2015, passei a comentar nas cabines”, recorda.

Jornalista pela Universidade Metodista e radialista pelo Senac Santana, Felipe nasceu cego devido à microftalmia – seu globo ocular não se desenvolveu.  Estudou em escolas públicas e no Instituto de Cegos Padre Chico, mas aprendeu o Braille na Escola Estadual Professora Maria Iracema Munhoz, em São Bernardo. Felipe lembra que se apaixonou pelo rádio ainda pequeno, ouvindo músicas, transmissões esportivas e programas antigos de memórias radiofônicas. “Sempre escutei várias emissoras. O rádio é para a pessoa cega um grande companheiro, já que podemos levá-lo a qualquer lugar”, ressalta.

 

DURANTE OS JOGOS

De acordo com Felipe, existem alguns deficientes visuais que comentam futebol amador, mas ele é o único cego comentarista de futebol profissional. Para executar bem o seu trabalho, fica sempre atento às descrições do narrador. “Presto atenção em qual lado o time está atacando mais, se os cruzamentos estão sendo bem-sucedidos, que equipe teve mais escanteios/faltas a seu favor, como está a pressão dos times etc.” Alguns lances do futebol ele não se atreve a comentar. “Sobre lances de pênaltis não posso falar, pois não os vejo, mas faltas que recebem cartões, posso tirar minhas conclusões baseado na narração.” 

Felipe se lembra de uma transmissão em que um narrador se esqueceu da deficiência visual dele. "Ele me perguntou se foi pênalti e eu respondi: Não sei, porque não vi, então fico com a opinião da equipe. Ao final da jornada, os colegas o lembraram que eu era cego e ele ficou meio sem graça, mas brincou: Pisei na maionese!", recorda o comentarista, aos risos.

Programa de rádio

O Programa Espaço da Inclusão começou em junho de 2013, apresentado pelo locutor Manoel Paulino, também deficiente visual. "Eu passei a apresentar com ele, mas em 2015 com sua saída dei continuidade ao projeto com outro radialista nas mesmas condições, Deocimar Neto."

Felipe esclarece que o seu programa na Rádio Paraty 87,5 FM (http://radioparaty.com.br/) tem músicas e entrevistas sobre tudo o que se refere a pessoas com deficiência. O Espaço da Inclusão vai ao ar aos sábados, das 13h às 14h, ou “da uma às duas da tarde, como se costuma dizer no rádio", acrescenta. 

 

Felipe revela que tem vários sonhos, mas pelo pouco tempo de carreira reconhece que ainda tem muito a aprender. "Ninguém aprende tudo na vida. Mas se você, com deficiência visual, tem algum sonho, persista e lute por ele", finaliza.

Voltar

 

ADEVA Rua São Samuel, 174, Vila Mariana - CEP 04120-030 - São Paulo (SP)
Telefones: 11 5084-6693 / 5084-6695 - Fax: 11 5084-6298 - E-mail: adeva@adeva.org.br
Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.
Compartilhe:
Indique este site! 

Webdesign:
E-Hipermídia Criação de Websites